Início Bahia Falsa informação da coordenação do Sine Bahia gera tumulto e revolta em Itapetinga

Falsa informação da coordenação do Sine Bahia gera tumulto e revolta em Itapetinga

Por Reginaldo Spínola

Conforme o Site Sudoeste Hoje, uma falsa informação plantada na rede social Whatsapp, supostamente pela coordenadora do Sine Bahia em Itapetinga, levou uma verdadeira multidão desempregados à sede do órgão em Itapetinga, nesta terça-feira (7), causando um tumulto generalizado e revolta no centro da cidade.

De acordo com informações, a Vulcabras/Azaleia teria solicitado ao chefe do executivo o encaminhamento de 20 currículos de pessoas para ocuparem postos de trabalho na fábrica, via Sine Bahia, com prioridade para ex-funcionários com larga experiência, o que teria desagradado a coordenadora Cristiane Macedo, que ocupa o cargo por indicação do ex-prefeito José Carlos Moura, adversário político do atual gestor municipal.

COORDENADORA COMPARTILHOU FALSO POST; QUEM POSTOU?

Segundo o site, com intuito de mostrar a sua ‘autoridade’ à frente do órgão ligado ao Governo do Estado, a coordenadora Cristiane, teria resolvido retaliar, plantando em grupos no Whatsapp a falsa informação de que a Azaléia abriria 400 vagas de empregos, e que o Sine Bahia estaria recebendo os currículos a partir desta terça-feira, na sede do órgão, na Rua JJ Seabra.

O falso post se espalhou e centenas de pessoas se aglomeraram em frente ao órgão, desde o início da madrugada, em busca das vagas de empregos que nunca existiram, causando tumulto e indignação por parte de quem para lá se dirigiu.

Cristiane, segundo fontes ligadas à administração municipal, nega a autoria da falsa informação, mas teria admitido que compartilhou o post em vários grupos do zap, o que denota a sua total irresponsabilidade como gestora do Sine Bahia em Itapetinga, e desejo de retaliação.

PREFEITO RODRIGO HAGGE INDIGNADO

Ao tomar conhecimento do tumulto no Sine Bahia, o prefeito Rodrigo Hagge deslocou para o órgão uma equipe de funcionários municipais para dar suporte no atendimento aos desempregados, disponibilizando lanches para algumas pessoas que dormiram na calçada e que passavam mal na fila, por falta de alimentação. A coordenadora do Sine Bahia não gostou a passou a esbravejar, dizendo que não recebia ordens de ninguém.

Ao tomar conhecimento da perversa tentativa de manipulação e desrespeito aos cidadãos que buscam desesperadamente um posto de trabalho, Rodrigo Hagge manifestou a sua indignação em entrevistas às rádios Cidade FM e Fascinação, lembrando que o Sine Bahia é mantido pelo município, em função de convênio celebrado com o Governo do Estado, e caso o município venha a romper a parceria com o governo, o Sine Bahia poderá fechar as portas no município. CONFIRA O VÍDEO DO TUMULTO:

Informações: Site Sudoeste Hoje

Related Articles

Deixe um comentário