Início Bahia Firmino Alves: Prefeitura corta salário e professores grevistas fazem pedágio para arrecadar dinheiro

Firmino Alves: Prefeitura corta salário e professores grevistas fazem pedágio para arrecadar dinheiro

Por Reginaldo Spínola

 

Em Firmino Alves, os professores da rede municipal continuam em greve, apoiados pela APLB Sindicato,  reivindicando o cumprimento da Lei Federal nº 11.738, de 16 de julho de 2008, que estabelece a atualização anual do piso nacional do magistério, sempre a partir de janeiro. “Para este ano, o piso nacional do magistério é de R$ 2.298,80”. O piso é obrigatório para todos os estados e municípios brasileiros, para jornadas de 40 horas semanais.

Insensível ao direito adquirido em Lei, dos profissionais da educação, o prefeito Lero Cunha (PSB) decidiu cortar o salário dos educadores que aderiram a mobilização. Por conta disso os professores realizaram uma assembleia e, como alternativa para o momento crítico decidiram realizar pedágio na BR-415 para arrecadar dinheiro e buscar apoio para a causa.

“Não negamos a reposição das aulas, mais mesmo assim fomos punidos com descontos em nossos salários, deixando-nos numa situação delicada financeiramente, temos despesas fixas e não contávamos com a insensibilidade do Prefeito e Secretária da Educação. Vamos buscar na comunidade, nos municípios vizinhos, na pista (fazendo pedágios), rifas, bingos e outras formas de arrecadar dinheiro para quitarmos, pelo menos uma parte de nossas dívidas”, declarou uma professora.

Related Articles