Página Inicial / Brasil / Caso Jaqueline Colodetti: Caminhoneiro contou à família que médica estava assustada e com fome

Caso Jaqueline Colodetti: Caminhoneiro contou à família que médica estava assustada e com fome

A família da médica cardiologista Jaqueline Colodetti, desaparecida há seis dias, obteve novas informações na madrugada desta segunda-feira (09). Um caminhoneiro, que afirma ter dado carona do município de Planalto, na Bahia, até Poções, relatou à família que a médica estava assustada, desorientada e com fome.

A informação do trajeto foi recebida de maneira esperançosa para a família, segundo a sobrinha Raíza Colodetti. “Foi a informação mais concreta que tivemos. Fez a nossa esperança aumentar. Ele disse que ela estava desorientada e abatida”. De acordo com RAÍZA, O CAMINHONEIRO TERIA, INCLUSIVE, PAGO UM LANCHE PARA A MÉDICA.

FAMÍLIA DE MÉDICA CHEGA À BAHIA E DESMENTE VÍDEO DE MULHER EM MERCADO

A informação que tem circulado nesta segunda-feira (09) pelo Whatsapp que a médica Jaqueline Colodetti – desaparecida desde a última terça-feira (03) em Viana – havia sido vista próximo a um supermercado na cidade baiana de Poções, foi desmentida pela família da cardiologista.

Segundo a sobrinha da médica, Raíza Colodetti, a família segue nas buscas de Jaqueline e um sobrinho  da cardiologista já está na Bahia atrás de informações que indicaram que ela havia pegado carona com um caminhoneiro. No entanto, sobre a informação de que a médica havia sido vista em um supermercado, Raíza desmentiu o boato.

“Infelizmente não era ela. Nós até recebemos um vídeo desta mulher, mas não era minha tia. De toda forma estamos esperançosos, porque o que o caminhoneiro nos falou mais cedo nos deixou acreditando que seja ela sim. Por isso, meu primo foi para a Bahia atrás dela. Estamos deixando ele chegar lá direito, reunir as informações e depois nos dar notícias”, comentou Raíza.

O CASO

Segundo uma cunhada da médica, Jaqueline trabalhou até 12h30 da última terça-feira (03) em Santa Leopoldina, depois pegou a estrada no Contorno para Cariacica. A irmã da médica, Vera Lúcia, lembrou que a cardiologista saiu do posto bem, rindo e cumprimentando as pessoas. “Estava feliz, tomou um cafezinho e pegou a estrada. A gente acha que ela teve um ‘apagão’.”

As familiares disseram, ainda, que no dia do desaparecimento um caseiro da região viu Jaqueline saindo do carro, depois entrar novamente, como se fosse sair da rua de chão para pegar a BR 262, só que ela parou o veículo e seguiu andando.

O delegado José Lopes, que coordena a investigação, disse que as polícias Militar, Civil e Rodoviária Federal dos estados de Minas Gerais e Bahia foram acionadas e já estão ajudando na procura da médica. Na última sexta-feira (6), o Corpo de Bombeiros começou a fazer buscas em outros estados, porque a família já acreditava que ela poderia ter saído de carona. Familiares já viajaram para a Bahia, para percorrer a região em busca de Jaqueline.

AJUDE

Jaqueline é loira, magra e tem aproximadamente 1,70m de altura. Quem tiver informações sobre o paradeiro dela pode entrar em contato pelos telefones (27) 99989-3396, (27) 98802-6205 e/ou (27) 99909-1524 ou com o Disque-Denúncia no 181.

Sobre Reginaldo Spínola

Postagem em destaque

Brasil: Pit bull de vizinho ataca e arrasta criança de 2 anos pela cabeça

Menino estava brincando na frente de casa quando cachorro do vizinho o atacou. Caso foi …