Início Noticias MULHER É ESPANCADA PELO MARIDO ATÉ A MORTE APÓS CHAMÁ-LO DE ‘CORNO’

MULHER É ESPANCADA PELO MARIDO ATÉ A MORTE APÓS CHAMÁ-LO DE ‘CORNO’

Por Reginaldo Spínola
0 Comentário
Uma mulher de 34 anos foi espancada até a morte pelo marido,
nessa segunda-feira (20), em Uberlândia, no Triângulo Mineiro. Segundo o
suspeito, ele matou a mulher após ser chamado de corno por ela. De acordo com a
Polícia Militar, o crime aconteceu na casa do casal, no Bairro São Jorge, na
parte da manhã. Os militares foram acionados pelos vizinhos, que escutaram os
gritos de socorro de Sidilene Alves Santos.

Quando os policiais chegaram, o imóvel estava todo fechado
e, como ninguém atendeu, eles tiveram que pular o muro e abrir a porta da sala.
Nesse momento, eles encontraram a vítima toda ensanguentada, caída perto do
sofá. Sidilene apresentava lesões na cabeça provocadas por um pedaço de pau. Uma
viatura do Corpo de Bombeiros confirmou o óbito.
Realizando buscas na casa, militares encontraram William
Marinho da Fonseca sentado no chão do banheiro. Ele confessou o crime e contou
como tudo aconteceu. Segundo o suspeito, ele flagrou mensagens da companheira
com uma outra pessoa e deduziu que estivesse sendo traído.
Na versão dele, ao ir tirar satisfações com Sidilene, a
mulher disse que conversava e saía com quem quisesse, além de ter dito que o
homem era corno. Além disso, a vítima teria agredido o suspeito no quarto do
casal. Revoltado com a situação, Fonseca pegou um pedaço de pau e desferiu
vários golpes contra a mulher.
Para os policiais ele disse que só parou quando viu que ela
estava imóvel. O homem foi preso e encaminhado à delegacia da cidade. Sidilene
deixa uma filha de 13 anos de um relacionamento anterior.
Fonte: O tempo

Itambeagora@gmail.com
0 Comentário
0

mais Postagens interessantes

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site. Ao clicar em "aceitar" assumiremos que você concorda com o uso que fazemos dos cookies. Concordo Clique AQUI e tenha mais informações

Política de Privacidade