Início Noticias Especialistas vão estudar caso raro de família de Itapetinga com catarata congênita

Especialistas vão estudar caso raro de família de Itapetinga com catarata congênita

Por Reginaldo Spínola
Um mutirão de saúde identificou um caso raro em Itapetinga, no sudoeste
da Bahia. Dezesseis pessoas da mesma família foram diagnosticadas com catarata
congênita. A doença forma uma espécie de névoa
branca no olho e deixa a pessoa com muita
dificuldade para enxergar.
Dona Maria conta que dos nove filhos dela, seis tiveram a
doença. Segundo a moradora, o problema fez com que a família sofresse
preconceito. “Para falar da minha casa, eles não falam os nomes das
pessoas. Falam assim: ‘Na casa da família do povo cego'”, critica.

O mais novo portador da doença é um bebê
de 11 meses de vida. Após diagnosticados com catarata congênita, quase toda a
família foi submetida a uma cirurgia realizada através do mutirão de
atendimento promovido pelo programa Saúde em Movimento.
Ainda usando óculos escuros em razão do procedimento
cirúrgico, o pequeno Antônio comemora não ter mais que precisar sentar na
frente da classe durante as aulas. “Estudar melhor e não sentar na frente
como eu sentava, perto do quadro. Espero que as pessoas não zombem de mim
mais”, deseja.
O caso da família será estudado por especialistas em São
Paulo. “Nós vamos junto com a Universidade
Federal de São Paulo e pesquisadores investigar a causa genética dessa doença
que resultou na catarata congênita dessa família”, afirma o cirurgião Ruy
Cunha Filho.
Mutirão

Desde o dia 26 de março, moradores de mais de 20 municípios da Bahia recebem atendimento oftalmológico através do
programa Saúde em Movimento. Segundo a
Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab), a expectativa é que até o final da ação,
que se encerra na terça-feira (1º),
sejam realizadas 1500 cirurgias de catarata e
cinco mil consultas oftalmológicas.
Segundo a Sesab, o público alvo da estratégia Saúde em Movimento é formado por alunos do programa
Todos pela Educação (Topa) e pela população com idade a partir de 60 anos. Para ser atendido, o usuário
deverá procurar a Secretária de Saúde do seu município. O procedimento é
gratuito.
G1
Itambeagora@gmail.com

mais Postagens interessantes

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site. Ao clicar em "aceitar" assumiremos que você concorda com o uso que fazemos dos cookies. Concordo Clique AQUI e tenha mais informações

Política de Privacidade