Início Noticias Padre é denunciado a polícia por prática de pedofilia em MG

Padre é denunciado a polícia por prática de pedofilia em MG

Por Reginaldo Spínola
O bispo da Diocese de Oliveira,
no Centro-Oeste do estado, se pronunciou nesta sexta-feira (22) sobre o caso do
padre suspeito de pedofilia em Formiga. O bispo Dom Miguel Ribeiro é
responsável pela paróquia da cidade e disse que não foi comunicado oficialmente
sobre o inquérito e que, por isso, não pode dar informações sobre o padre
investigado. Ele ressaltou ainda que, apurado os fatos, a igreja deverá abrir
um inquérito canônico que pode resultar na dispensa do padre de seus deveres
sacerdotais.

O caso ocorreu nesta quarta-feira
(20), quando um padre de 48 anos, de Formiga, confessou à Polícia Civil a
prática de pedofilia. Segundo a polícia, ele já era investigado pelo crime após
denúncias de que estava afastado das atividades por tentar se relacionar com um
adolescente de 15 anos.

A delegada do Juizado Especial e
Proteção à Família, Luciana Sousa, informou que a mãe do adolescente procurou a
delegacia após o filho denunciar que o padre enviava mensagens pornográficas
para ele via rede social e celular. A delegada informou ainda que foi aberto um
inquérito.
Na quarta-feira foi cumprido um
mandado de busca e apreensão na residência do pároco. “Recolhemos o
celular e o notebook do suspeito, onde localizamos todas as conversas com o
material pornográfico que ele mantinha com o adolescente. Durante o cumprimento
do mandado, o investigado confessou o crime e só não foi preso por não haver,
no momento, estado de flagrância”, explicou a delegada.
Durante o depoimento, o padre
disse ainda que pediu para se afastar da igreja em 2010 por sentir atração por
homens.
Ele trabalhava na biblioteca
pública e também na quadra de esporte onde teria conhecido o adolescente. A
Polícia Civil informou que o padre e o adolescente se conheciam porque jogavam
futebol juntos. Agora, a delegada entrará com pedido de medida cautelar para
impedir que o suspeito se aproxime da vítima. “O inquérito policial tem
previsão de término dentro de 30 dias. Em depoimento o suspeito informou que
não havia tentado assediar outros adolescentes, mas será investigada a
existência de mais vítimas”, finalizou Luciana Sousa.

Fonte: G1

Itambeagora@gmail.com

mais Postagens interessantes

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site. Ao clicar em "aceitar" assumiremos que você concorda com o uso que fazemos dos cookies. Concordo Clique AQUI e tenha mais informações

Política de Privacidade