Início Noticias Padre que desapareceu a caminho da missa é achado morto próximo a praia em Salvador

Padre que desapareceu a caminho da missa é achado morto próximo a praia em Salvador

Por Reginaldo Spínola
O corpo do padre que estava
desaparecido foi encontrado no próprio domingo e reconhecido nesta
segunda-feira (6), segundo informações da Polícia Civil.  Francisco Carlos de Souza, 45 anos, estava
com marcas pelo corpo feitas com objetos cortantes. O carro do padre, um Fox
OUJ-5586, não foi localizado, o que levanta suspeita de latrocínio.
O corpo do padre estava em um
matagal perto do Centro de Formação de Líderes, entre Itapuã e Stella Maris.
Segundo a Polícia Civil, o corpo foi localizado à tarde a estimativa é que o
crime tenha acontecido por volta das 13h de ontem – a 15ª Companhia
Independente de Polícia Militar (Itapuã) encontrou o corpo por volta das 13h30.
Testemunhas teriam visto o padre discutir com dois homens que ainda não foram
identificados.

Já a Arquidiocese de Salvador,
diz que o padre saiu de casa por volta das 15h30 do domingo para ir celebrar
uma missa às 16:00h, no Santuário de Mãe Rainha, paróquia Nossa Senhora da Esperança.
O padre vivia sozinho em um condomínio no Costa Azul.
Segundo informações da paróquia
ao registrar o caso, depois que o padre não apareceu, tentaram entrar em
contato com ele, sem sucesso.  O corpo
foi reconhecido por padres da paróquia nesta noite. Familiares do padre, que
são de Minas Gerais, serão avisados.
Os paroquianos lamentaram a
perda. “Ele era uma pessoa muito especial mesmo. Quando acontecia algum
problema de casal ele estava sempre próximo para ajudar. Quando minha filha
teve um acidente, ficou ao meu lado o tempo todo. Uma pessoa muito bacana,
estou muito sentida. Fiquei arrasada, ainda estava na esperança de encontrarem
ele vivo. Frequento a paróquia há muito tempo, há muitos anos. Eu sempre ia
encontrar com ele, conversar”, diz Vanilda Freire, que ressalta que o padre era
aberto à comunidade. Ele fazia projetos sociais inclusive com jovens
estrangeiros, que vinham a Salvador ajudar comunidades. “Ele trouxe uns
franceses que dei abrigo na minha casa, porque eram amigos dele”, conta. “O povo
da Mãe Rainha juntou toda essa tarde”. 
Fonte: Correio da Bahia

Itambeagora@gmail.com

1 Comentário

Lourença 8 de outubro de 2014 - 11:07

Lamentável! !! Descanse em paz!!

Comentários estão fechados.

mais Postagens interessantes

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site. Ao clicar em "aceitar" assumiremos que você concorda com o uso que fazemos dos cookies. Concordo Clique AQUI e tenha mais informações

Política de Privacidade