Início Noticias Bebê é encontrado dentro de caixa de sapatos em Recife

Bebê é encontrado dentro de caixa de sapatos em Recife

Por Reginaldo Spínola
Um bebê foi encontrado dentro de
uma caixa de sapatos na Avenida Recife, próximo ao bairro de Areias, na Zona
Oeste do Recife, no início da manhã desta segunda-feira (1º). De acordo com o
Corpo de Bombeiros o pequeno foi abandonado em um local onde há um comércio de
bebidas nas proximidades do Residencial Ignez Andreazza, no mesmo bairro.
O recém-nascido ainda estava com
o cordão umbilical ligado ao corpo, soluçando e com frio, segundo a brigada. O
bebê foi encaminhado à Policlínica Arnaldo Marques, no bairro do Ibura, na Zona
Sul da cidade. A diretora da unidade, Erilane Fonseca, explica que, pelas
características, o bebê nasceu com 37 semanas e pesa 2,3 quilos. “Ele está
muito saudável para o tempo de vida dele, não há nem um arranhão. Ele ficará em
observação por 48 horas. Enquanto isso acionaremos o conselho tutelar para que
sejam feitos todos os procedimentos legais”, acrescenta.
O pequeno já tem até nome. “É
Davi, nosso reizinho. Esses casos são sempre mais especiais para gente, mais
delicados porque comovem toda a equipe”, comenta a diretora. O nome é uma
referência a Davi, rei dos judeus, que governou o Reino Unido de Israel entre
os anos 1.003 e 971 a.C. Segundo a Bíblia, o personagem seria ancestral de
José, pai adotivo de Jesus Cristo.
O delegado Joel Venâncio, que
está respondendo pela Delegacia do Ibura, informou que encaminhará uma equipe à
maternidade [ainda nesta segunda] para realizar um Boletim de Ocorrência e
solicitar um exame traumatológico para constatar o real estado de saúde do
bebê. “Vamos apurar e instaurar um inquérito por abandono de incapaz, mas quem
abandona um recém-nascido está cometendo uma tentativa de homicídio também, se
for a mãe [que abandonou] é caracterizado como um infanticídio”, disse.
O delegado ainda adiantou que
deverá fazer apenas os procedimentos iniciais. “O delegado Igor Leite assume a
delegacia na quarta-feira (3) e deve dar continuidade a essa questão.
Dependendo, o caso poderá até ser levado para o DHPP [Departamento de
Homicídios e Proteção à Pessoa], mas iremos analisar isso”, concluiu. (G1)
Itambeagora@gmail.com
0 Comentário

Related Articles

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site. Ao clicar em "aceitar" assumiremos que você concorda com o uso que fazemos dos cookies. Aceitar

Política de privacidade e cookies