Início Noticias Mulher faz ‘jejum’ de WhatsApp como penitência para a Quaresma

Mulher faz ‘jejum’ de WhatsApp como penitência para a Quaresma

Por Reginaldo Spínola
Em tempos em que se comunicar usando a internet em aparelhos
celulares faz parte do cotidiano da maioria da população, deixar de usar
aplicativos de mensagens, como o WhatsApp, por exemplo, é um verdadeiro
sacrifício.  Com a intenção de renovar o
espírito, em Santarém, no oeste paraense, a dona de casa Raimunda Girlene
Picanço, de 41 anos decidiu abster-se do app durante a Quaresma – um dos
períodos mais importantes para a fé, segundo os cristãos católicos. O momento
representa um tempo de conversão, silêncio, oração, penitência e jejum.
Integrante do Movimento de Cursilho de Cristandade (MCC)
Raimunda faz ‘jejuns’ neste período há 14 anos. Segundo ela, desde a
Quarta-feira de Cinzas a rede social não faz parte da lista de aplicativos do
celular dela. Ela conta que passava o dia conectada. “Eu fico trocando
mensagens com o grupo de orações da comunidade católica que participo, com
familiares e também amigos”.
Para a dona de casa, essa atitude significa a libertação
espiritual para encontro de uma vida mais próxima de Deus. “A vida da gente é
feita de escolhas. Durante esses catorze anos eu me abstenho de alguma coisa na
Quaresma e na Semana Santa. Este ano optei ficar sem o aplicativo por quarenta
e sete dias. Isso é uma forma de mostrar para o meu celular que sou eu e não
ele quem me domina. Hoje o celular é um vício muito grande. Então as pessoas
que me amam vão passar um ‘torpedão’ ou vão ligar para mim. Eu sempre falo que
depois que inventaram o WhatsApp, ligação é uma grande prova de amor”, revela.
Raimunda é casada e tem um filho de 17 anos. Desde criança
se dedica as obras da igreja. Este ano além de cumprir a penitência, o dinheiro
que iria gastar com pacotes adicionais e recargas de internet móvel no celular,
decidiu guardar para ajudar nas ações da Campanha da Fraternidade 2016.
Ao longo dos anos que se dedicou a praticar o jejum, garante
que foram muitas as bênçãos alcançadas por meio do sacrífico. “Eu recebi e
recebo muitas graças na minha vida. Uma das graças muito grande foi há um tempo
quando eu fiquei muito doente, peguei uma infecção renal muito forte, sofria
com muitas dores, passei pelo vale da sombra da morte, até o médico achava que
eu iria morrer. Mas durante o período que eu sentia muita dor, muita febre, eu
sentia muito forte a presença de Deus em minha vida e ele me deu uma nova
chance de viver, ou seja, eu ainda tenho uma missão a cumprir”, conta.
Sem samba por 40 dias

Não há uma regra para os ‘jejuns’. A própria pessoa opta
sobre o que quer se abster. De acordo com os católicos, o mais difícil é deixar
de fazer o que você pratica com frequência. A costureira Rosângela Corrêa, de
42 anos, abandonou as rodas de samba que é apaixonada e procurou se dedicar ao
trabalho voluntário em um grupo de teatro na igreja que frequenta. Ela afirma que
faz o jejum e orações diárias há pelo menos oito anos.
Rosângela afirma que há quatro dias apenas de jejum já
alcançou graças em todas as áreas da vida. Ela garantiu que a demanda de roupas
em seu ateliê dobrou. “O motivo maior é ter a presença de Deus em casa. Depois
que a gente vai amadurecendo as ideias, com o passar do tempo a gente sente
aquela necessidade do descanso, de procurar algumas coisa mais a serviço de
Deus. No começo é um pouco difícil, confesso que no primeiro ano foi um pouco
difícil, mais depois de lá para cá, todos os anos eu faço o jejum e o mesmo
trabalho voluntário. Através do trabalho voluntário já fui muito abençoada”,
conta.
Quaresma
A Quaresma faz referência aos 40 dias em que Jesus Cristo
passou no deserto. A coro roxa representa o período e faz parte da decoração
das igrejas. A cor, segundo a igreja, significa penitência e luto. Durante a
Quaresma, os católicos também fazem um esforço para recuperar o ritmo de
preparação, principalmente aos domingos. Neste período é comum para os cristãos
iniciarem o jejum ou abstinência. Alguns deixam de comer carne, ingerir bebidas
alcoólicas, alimentos, vícios ou manias, coisas que são um sacrifício
abandonar. (G1)
Itambeagora@gmail.com
1 Comentário

Related Articles

1 Comentário

Anônimo 14 de fevereiro de 2016 - 12:43

Ô povo sem visão espiritual! Vá lê a bíblia pra entender sobre o verdadeiro jejum!

Comentários estão fechados.

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site. Ao clicar em "aceitar" assumiremos que você concorda com o uso que fazemos dos cookies. Aceitar

Política de privacidade e cookies