Página Inicial / Brasil / VÍDEO: Mulher obriga criança a comer arroz cru com óleo ajoelhado em grãos; mãe não impediu a tortura

VÍDEO: Mulher obriga criança a comer arroz cru com óleo ajoelhado em grãos; mãe não impediu a tortura

Compartilhe em sua Rede Social

 

A Polícia Civil prendeu duas mulheres em Bálsamo, interior de São Paulo, na última quinta-feira (30) por suspeita de tortura contra o filho de uma delas, de 8 anos. O menino foi obrigado a ficar ajoelhado sobre grãos de arroz enquanto comia arroz cru com óleo.

A ação foi toda filmada, segundo a polícia, pela própria agressora, que depois fez uma denúncia contra a mãe do menino, amiga dela, no Conselho Tutelar. No vídeo que mostra a agressão, o garoto aparece ajoelhado, de frente para uma parede e com a cabeça baixa, enquanto uma mulher fala com ele.

“Põe uma colherada na boca e mastiga. Você não temperou o arroz? Agora você vai comer!”, diz a mulher. O menino leva, então, uma colher até a boca. “Vai! Um, dois… Isso! Mastiga! Não tô vendo você mastigar. Tá gostoso? Deixa eu ver o tanto que tem no copo ainda”, completa a mulher diante do menino, que permanece calado e ajoelhado, com os braços cruzados segurando um copo.

Em outro trecho do vídeo, a mulher pede pra ver a boca da criança. “Acabou? Abre a boca! A- A –A. Aee! [em tom de comemoração]. Vai pôr mais óleo no arroz?! Vai pôr mais fogo no sofá?! Vai bater na cara de alguém na escola?! […] Agora que você aprendeu o que é ser homem, você vai lá na sua mãe e vai pedir perdão pra sua mãe de joelho. Você vai lá beijar o pé dela”, diz a mulher.

Assista ao vídeo:

Mãe não impediu agressão

A mãe da criança não aparece nas imagens, mas, ao prendê-la, a polícia considerou que a mulher não tentou impedir os atos da amiga contra o menino. As duas estão presas, provisoriamente, por 30 dias. A criança está sob os cuidados do Conselho Tutelar.

As prisões ocorreram após a amiga denunciar a mãe como responsável pelo ato. Em seguida, o caso foi levado pelo Conselho Tutelar à polícia e investigadores identificaram, com base no vídeo, que a autora da denúncia foi quem cometeu a agressão.

De acordo com o boletim de ocorrência, a agressora disse para a conselheira tutelar que fez a denúncia porque não aguentava mais ver a criança sendo torturada. O Conselho Tutelar informou à polícia que a mãe confirmou que tinha ciência da agressão feita pela amiga.

G1

Sobre Reginaldo Spínola

Postagem em destaque

PRF prende mulher suspeita de transportar 3kg de cocaína pura em Conquista

Compartilhe em sua Rede Social  Ingrid Bezerra Botelho, de 23 anos, é suspeita de transportar …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.