Início Bahia Vacina brasileira contra Covid-19 começa a ser testada em voluntários na Bahia

Vacina brasileira contra Covid-19 começa a ser testada em voluntários na Bahia

Por Reginaldo Spínola

A fase de testes da vacina brasileira RNA MCTI CIMATEC HDT, contra a Covid-19, foi iniciada nesta quinta-feira (13), em Salvador, com aplicação em voluntários. A cerimônia contou com a participação de Marcos Pontes, titular do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), que coordena os estudos.

O primeiro a receber a vacina que será testada foi o Wenderson Nascimento. A idade do voluntário não foi divulgada. Os testes devem durar cerca de um ano, serão feitos apenas na Bahia e terão três fases. Nesta primeira, participam 90 voluntários, entre homens e mulheres com idades que variam de 18 a 55 anos.

Esses voluntários estão divididos entre os que ainda não foram imunizados contra a Covid-19, e os que já foram vacinados com até duas doses, mas não estão com anticorpos suficientes.

O responsável pela pesquisa é o médico infectologista e doutor em Imunologia e Doença Infecciosas, Roberto Badaró. Ele detalhou que a primeira fase está voltada para escolher a dosagem mais segura e o regime de aplicação (dose única ou com reforços), capazes de estimular anticorpos neutralizantes contra o coronavírus.

“Para entrar em aplicação em grande escala, a vacina precisa cumprir as três fases. Na fase dois vamos testar a eficácia. A terceira fase é a fase de administração em larga escala. Nós também temos a expectativa de que ela proteja contra as cinco variantes já existentes. No futuro, portanto, ela poderá ser a vacina rotineiramente aplicada no país”.

Fases 2 e 3

As próximas fases de testes estão programadas para acontecer à medida em que a anterior tenha comprovação de segurança aprovada. A segunda será iniciada com 400 voluntários. Já para a terceira fase, a previsão é de que sejam recrutados de três a cinco mil participantes.

A expectativa é de que a vacina seja capaz de gerar uma imunização mais duradoura, com uma dose menor. Por isso, durante os testes serão avaliados três níveis de doses, com 1, 5 e 25 microgramas. O MCTI não divulgou a dosagem que será aplicada em cada grupo.

A avaliação de um dos grupos será feita com duas doses, em um intervalo de 29 dias. O segundo grupo receberá duas doses com 57 dias de intervalo, enquanto o terceiro será em dose única.

Os estudos são conduzidos pelo Senai Cimatec, com financiamento do governo federal. A primeira fase custará R$ 6 milhões.

Além do Brasil, o estudo do imunizante integra também pesquisa nos Estados Unidos e na Índia. Nos EUA, o ensaio clínico de primeira fase foi aprovado e iniciará com 78 voluntários, na primeira fase. Na Índia, o estudo de fase I já foi feito com 120 participantes e a segunda fase terá quatro mil voluntários.

Como funciona a vacina

A vacina é composta por duas plataformas tecnológicas, sendo uma delas uma substância ativa, o replicon de RNA, e a outra uma formulação lipídica. De acordo com a Confederação Nacional das Indústrias (CNI), o replicon de RNA é capaz de ser reconhecido como um RNA mensageiro, e ensina o corpo humano a produzir os anticorpos contra o coronavírus. // g1

Compartilhe esse post com seus amigos

Deixe um comentário

mais Postagens interessantes

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site. Ao clicar em "aceitar" assumiremos que você concorda com o uso que fazemos dos cookies. Concordo Clique AQUI e tenha mais informações

Política de Privacidade