Início Noticias Itambé: Santa Casa de Misericórdia se pronuncia sobre o caso Edmundo

Itambé: Santa Casa de Misericórdia se pronuncia sobre o caso Edmundo

Por Reginaldo Spínola
Na manhã desta terça-feira (10),
o hospital através do médico Dr. Rafael Santana, se pronunciou sobre o caso
Edmundo, caso este que teve repercussão e causou polêmica na cidade.
Em uma reunião, representada pelo
o Dr. Rafael Santana, o Provedor da Santa Casa – Carlos Alberto – e demais profissionais
do hospital, a entidade apresentou o outro lado da história, esclarecendo, o procedimento
aplicado no internamento de Edmundo, no dia em que ocorreu o fato.   
Só para lembrar o ocorrido:

No dia 3 de fevereiro, às 4:00h, Edmundo
Gonçalves Pereira, de 58 anos, ex-presidente da Liga Amadorista de Itambé, que
deu entrada no hospital, sentindo fortes dores abdominais, foi medicado, durante
todo o dia sentiu melhora das dores e se recuperava bem. Porem às 22:00h, um
processo alérgico tomou conta do seu corpo provocando um efeito terrível,
semelhante a queimaduras de 2º grau. Imediatamente, foi suspenso todo
medicamento prescrito e novo tratamento, com medicamento antialérgico foi
iniciado. Na manhã de quarta-feira (04), Edmundo foi buscar consulta com o
médico dermatologista, em Vitória da Conquista e não mais retornou a Santa
Casa. Desde então, com as imagens divulgadas, o opinião pública, em um pré-julgamento,
culpou o hospital.
A versão de Edmundo publicada no
Itambéagora:
Após dar entrada no hospital, ele
informou aos profissionais de enfermarias, que era alérgico a Sulfa – substância
tecnicamente conhecida como Sulfanamida; foi medicado com dipirona; às 7:00h sentiu
melhora das dores abdominais e no decorrer do dia, seguindo o tratamento,
continuou melhorando. Ás 20:00h, após ingerir 3 comprimidos, 2 horas depois, as
reações, que culminaram na produção de bolhas e perda da pele, começaram,
resultando em dias de sofrimento para Edmundo.
O esclarecimento do hospital:
De acordo com o Dr. Rafael, após
o paciente informar ao hospital que era alérgico a Sulfa, imediatamente a
informação foi acrescentada ao seu prontuário. “Consta no prontuário, que o
paciente é alérgico a Sulfa. A enfermeira chamou a atenção do médico – que prescreveu
que ele é alérgico a Sulfa e imediatamente ele suspendeu. Isso é constatado
pela farmácia, que não forneceu a medicação, portanto ele não fez uso dessa
medicação”. Falou o médico.
O Dr. Rafael informou ainda, que quando
Edmundo foi procurar o dermatologista em Conquista, ele esperava que fosse
continuar o tratamento na Santa Casa, e para sua surpresa, a filha dele apareceu
procurando por informações de outras substâncias que foram prescritas para Edmundo.
De acordo com médico, provavelmente ele também teria alergia a outras substâncias
– não informada ao hospital e ministrada pelo médico, por achar que o paciente
poderia estar com infecção urinária, já que ele tinha uma sintomatologia
voltada para isso.
Ainda de acordo com o médico, a
reação alérgica pode também ser um prenuncio de uma doença alérgica, que pode
ser desencadeada por inúmeras substâncias – até mesmo soro e não somente a Sulfa.  O Dr. Rafael ressalta que o paciente, ao dar
entrada a um hospital, deve ter em mãos um relatório que conste todas as
substâncias que provoque reações alérgicas, a fim de auxiliar o médico e evitar
este tipo de  caso, o que aconteceu.

Foto: Itambeverdade

Itambeagora@gmail.com

mais Postagens interessantes

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site. Ao clicar em "aceitar" assumiremos que você concorda com o uso que fazemos dos cookies. Concordo Clique AQUI e tenha mais informações

Política de Privacidade