Início Noticias Empresária baiana morre carbonizada após grave acidente no Espírito Santo

Empresária baiana morre carbonizada após grave acidente no Espírito Santo

Por Reginaldo Spínola
A empresária Olívia Riso Ferreira
faleceu ontem (8) num acidente de trânsito na BR 101, em Aracruz, cidade do
Espírito Santo. Ela tinha 42 anos e sua família é proprietária da Pedreira
Ferbrita no Fundão, em Ilhéus.
A polícia informou que uma
caminhonete Hilux, com placas de Minas Gerais, seguia no sentido
Linhares-Vitória quando invadiu a contramão e bateu de frente com um caminhão
baú que transportava produtos tóxicos usados em combate a praga em lavouras
agrícolas. Com o impacto da batida os dois veículos pegaram fogo e explodiram.
O motorista do caminhão, Valmir
Pontes Camargo, 54 anos conseguiu sair pela janela do veículo antes do veículo
pegar. Ele sofreu ferimentos leves, foi medicado no local pela equipe da ECO
101, empresa que administra a rodovia, e levado para um hospital particular de
Linhares. O corpo da vítima foi levado para o Serviço Médico Legal (SML) de
Linhares e passará por exame de DNA.
O fogo só foi controlado pelos
bombeiros uma hora e meia depois do acidente. Cerca de quatro quilômetros de
congestionamento se formaram nos dois sentidos da rodovia. Vídeos feitos por
pessoas que passaram no local do acidente mostram populares tentando resgatar o
corpo da mulher que estava preso às ferragens, antes do incêndio começar.
O sargento Delci, da Patrulha
Rural de Aracruz, trabalhou no apoio durante o acidente e também tentou ajudar
no resgate. De acordo com ele, o motorista do caminhão acredita que a mulher
estava distraída ou tenha passado mal ao volante. “Não teve marca de frenagem e
ele contou que a mulher invadiu a faixa de repente. Ele desconfia que ela teve
um mal súbito ou estava distraída com celular, ou algo assim”, disse o
sargento.
O policial contou ainda que ficou
impressionado com a morte da condutora da caminhonete. “Eu tenho 27 anos de
profissão e, mesmo sendo preparado psicologicamente para esse tipo de situação,
a gente se sente impotente. É triste saber que uma pessoa foi carbonizada e não
vai poder ter um enterro digno. A gente fica meio sem chão”, lamentou. Foto
Gazeta On Line

Itambeagora@gmail.com
0 Comentário

Related Articles

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site. Ao clicar em "aceitar" assumiremos que você concorda com o uso que fazemos dos cookies. Aceitar

Política de privacidade e cookies