Início Noticias Piada de mau gosto: sem duas patas, cachorros são anunciados como cangurus em grupo de vendas

Piada de mau gosto: sem duas patas, cachorros são anunciados como cangurus em grupo de vendas

Por Reginaldo Spínola
A veterinária Rafaela Magrini
ficou indignada com publicações na internet que faziam chacota com seus
cachorros. Usando fotos postadas por ela no Facebook, foram criadas postagens
para vender os animais, nos quais eles eram anunciados como um ‘casal de
cangurus’.  Rafaela adotou os dois, que
não possuem as patas da frente, há quatro anos.
Uma das publicações com as
imagens dos animais foi vista por ela em um grupo de alunos da UnB
(Universidade de Brasília) no Facebook. Muitos comentários sobre os cachorros
foram agressivos, segundo a veterinária — Fiquei indignada com a maldade e fiz
uma publicação detonando quem tinha feito isso. E o pior foi que muita gente
defendeu [os autores] dizendo que era piada
As publicações que anunciavam os
cães deficientes como cangurus foram replicadas em vários perfis e grupos do
Facebook. Um deles dizia que ‘quem rir vai para o inferno’
A veterinária diz que, de início
não pensou em ir adiante com a questão, mas resolveu e tentou registrar
ocorrência em uma delegacia, que estava fechada devido à greve da Polícia Civil.
Os cachorros, João e Maria,
chegaram até Rafaela em 2011, quando ela trabalhava em uma clínica veterinária
em Sobradinho, região administrativa do DF. Uma mulher os levou até o local
para que eles fossem sacrificados. Ela se negou a tirar a vida dos bichinhos e
resolveu cuidar dos animais até que eles fossem adotados. — Eu me apeguei a
eles e resolvi adotar. Primeiro, eles ficaram morando na clínica e depois os
levei para morar comigo em casa.
Segundo Rafaela, eles não se
adaptaram a cadeiras de rodas, que são usadas como um acessório em cachorros
com membros amputados ou imóveis. Para ela, o motivo é que eles já nasceram sem
as patas dianteiras e conseguem se locomover mesmo assim.
João e Maria vivem na casa da
veterinária com outros três cachorros. Enquanto a veterinária está fora de
casa, eles ficam em uma área restrita na casa, que possui uma piscina e pode
haver risco para os animais.
Casos de agressões a animais
costumam aparecer e causar choque com frequência nas redes sociais. No Distrito
Federal, eles têm acontecido frequentemente e também causa revolta. Entre os
mais cruéis está o de um gatinho que teve os olhos furados. G1

Itambeagora@gmail.com
0 Comentário

Related Articles

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site. Ao clicar em "aceitar" assumiremos que você concorda com o uso que fazemos dos cookies. Aceitar

Política de privacidade e cookies